A Consoada

Posted by Debbys On sábado, 18 de abril de 2009 10 Insanidades
Sempre tive medo da morte. FATO! Acho que era a única coisa que me metia medo de verdade na vida. Minha primeira experiência com a morte foi nos anos 90. Eu devia ter menos de 10 anos, com certeza. Minha tia [irmã de minha mãe] tinha vindo passar alguns dias aqui em casa. Em uma certa noite ela começou a se sentir mal e foi hospitalizada. Logo a casa já estava cheia de gente da família esperando alguma coisa acontecer. Um dia o telefone tocou e meu pai atendeu. Era um amigo dele do hospital dando a notícia. Ao desligar o telefone ele já avisou: "ela faleceu"... Minha mãe começou a chorar desesperadamente, meu avô foi acudir minha avó, minha irmã ficou em um canto, com o olhar baixo. E eu? Eu fiquei me perguntando: "como assim faleceu? não entendi!". Segui meu pai até a conzinha e perguntei: "o que aconteceu?" e ele voltou a falar "sua tia faleceu". E eu ali, sem entender nada, até que minha irmã me puxou pra dentro do quarto e falou, com bastante clareza: "ela morreu". Morreu? Como assim morreu? Demorou um pouco pra ficha cair, mas saibam, ela caiu.

Nesse meio tempo perdi outras tias, pessoas conhecidas, mas considero como segunda experiência com a morte quando um colega de classe foi atingido por um raio. Ele ficou 2 dias de coma, até que ligaram lá pra casa e minha mãe atendeu. Ela tentou esconder, mas quando ouvi ela falar "no Bonfim?"... bom, eu sabia que se tratava de um cemitério. Depois desse dia peguei trauma de tempestades.

Minha última experiência com a morte foi quando perdi minha mãe. Ela bateu na nossa porta de forma tão inesperada, tão rápida... Essa vai ser uma história pra outro post, algum dia, porque gostaria muito de escrever como foi aquele dia, mas um dos meus maiores medos se concretizou: a morte de minha mãe.

Acho que depois disso meus medos diminuíram de uma certa forma. Apesar dos receios, enfrento tudo de frente, mas ainda tenho medo dela, e sei que ela me fará chorar muito e um dia virá me buscar.

"Quando a Indesejada das gentes chegar
(Não sei se dura ou caroável),
talvez eu tenha medo.
Talvez sorria, ou diga:
- Alô, iniludível!
O meu dia foi bom, pode a noite descer.
(A noite com os seus sortilégios.)
Encontrará lavrado o campo, a casa limpa,
A mesa posta,
Com cada coisa em seu lugar."
[Manuel Bandeira]

10 Insanidades:

brúh. disse...

a morte é a única certeza de quem vive.
infelizmente não somos preparados para ela e nunca somos avisados mesmo sabendo que virá :~
sinto muito pelas suas perdas.
o texto ficou ótimo (y) e brigada pela visita; eu pensei mais em reviver mesmo do que mudar, nem sei porque.
:*

C. disse...

Mais uma vez você falou da sua mãe. Me emocionei. Meus olhos encheram de lágrimas. Ok. Mas não sabemos quando a morte irá chegar. Sabemos que é um dia. Pode ser amanhã ou até mesmo hoje. Não sabemos. Já perdi uma tia que eu amava muito. Minha mãe me acordou dizendo que ela faleceu. Foi ano passado. Minha primeira reação foi: puxar a coberta e chorar desesperadamente. No enterro, não parava de chorar e sempre pensava: -Tia, pode acordar, já acabou a brincadeira. Foi horrível. Mas é assim a vida. ): E eu sinto muito pelas suas perdas. Bjks :*

Luisa disse...

A morte também é um dos meus maiores medos! Mas a única vez que tive contato com ela foi quando minha vó paterna morreu... Deve ser difícil demais perder a mãe tão cedo, mas você parece meio que ter superado a perda e isso é muito bom!
beijos

FaBiaNa GuaRaNHo disse...

OI Debbys,
Realmente vc tem razão sobre a morte, por mais certeza que temos que ela chegará nunca estamos preparados.
Passei por isto a pouquíssimo tempo, bem mas isso é outra estória.
um a pena vc não ter conseguido entra no link da Susan Boyle, mas dá uma passada no youtube e veja, vale muito a pena se vc quer se emocionar.
Obrigada pela visita e pelo carinho e volte sempre OK?
Bjinhos

disse...

meldes. qe triste. :/
Eu também sempre tive medo da morte e morro de medo de alguém que eu amo morrer.

Thaís A. disse...

Quem não tem medo da morte? Realmente não gosto nem de imaginar a dor que deve ser ao perder alguém tão próximo :x

Patrícia Pirota disse...

Parabéns por ser tão forte numa situação tão difícil! Isso é louvável...

Adorei o poema do Bandeira.

'Brigadão pelo comentário no blog! E pela super dica das caixas! Vou tentar fazer...

Bjo procê!

Carol disse...

Nossa, qe triste. Perder pessoas qe amamos já é doloroso, deve ser ainda mais quando a senhora morte resolve levá-las praticamente juntas! Adorei seu post.
bjsbjs ;*

Fernanda Rodrigues disse...

Eu nunca tive medo de morrer, mas sempre tive medo de que as pessoas que eu gosto morressem. Nunca passei por uma experiência assim, ver alguém que eu realmente ame indo embora para nunca mais voltar. Acho que quando acontecer vai custar a sarar.

Admiro muito a sua força, Debbys. Do fundo do coração.

Dani disse...

Você sabe como eu admiro você pela sua força né?



E falar de morte como alguém personificado me lembra do livro "a menina que roubava livros".


bjs

Postar um comentário

Esse espaço é todinho de vocês!